Testemunho – Niviane Magalhães

Home/Testemunho – Niviane Magalhães

Tenho uma sobrinha de 11 meses chamada Giovanna, que é cardiopata. Com apenas 10 dias de vida ela passou por duas cirurgias no coração. Devido a uma série de complicações, ela ficou entubada por muito tempo e desaprendeu a mamar.

Ela não conseguia mais controlar a língua para mandar o alimento para a garganta e deglutir. Desde então, ela se alimentava por sonda, mesmo após 8 meses de treinamentos diários de fono para ela reaprender a mamar.
Foi então que na Conferência Voz de Sião de 2019,  durante o louvor, comecei a pensar na minha vida e lembrei que em setembro fará 3 anos que sou batizada no Espírito Santo e falei para Deus: “vou completar 3 anos que fui batizada e até então minha vida continua a “mesma”. Claro que minha visão sobre fé e acreditar no sobrenatural de Deus mudaram totalmente, mas nada realmente aconteceu através da minha vida, Senhor eu quero trazer o seu Reino e a sua vontade”.

Foi quando então o Espírito Santo veio em meu coração e fui tomada por uma certeza como nunca antes tinha sentido: que eu, meu marido e meus cunhados (pais da bebê) deveriam jejuar e orar com imposição de mãos sobre a Giovanna por 7 dias para ela ser liberta da sonda e a partir do oitavo dia ela começará a comer naturalmente.

Em um primeiro momento tive medo, pois fiquei com receio de ser algo da minha cabeça e por mexer com a expectativa e fé deles. Neste momento, orei a Deus questionando se tudo isso era verdadeiro.

Em seguida, uma mulher chegou ao meu lado, me abraçou e disse: vá, o Senhor é contigo! Nisso, comecei a sentir que a alimentação da Giovanna não seria curada por fono ou tratamentos, mas sim pelo sobrenatural de Deus.

Na mesma hora, saí do meu lugar e fui até o meu marido contar o que Deus tinha me falado e pedi para que ele orasse sobre isso tudo porque eu iria contar para a minha cunhada.

Depois disso, minha única oração foi: “Deus, se for algo do seu coração, aumente a minha certeza e não deixe que minha fé esmoreça”. Desde então, a certeza em meu coração só crescia!

Não conseguimos iniciar o processo logo que a conferência acabou, pois eles tinham uma viagem marcada.

Demos então início ao jejum e orações no dia 10 de julho. Antes de começarmos o primeiro dia, minha prima recebeu uma palavra que, além dos 7 dias de consagração, teríamos que nos encontrar até o dia 23 de julho para celebrarmos os grandes feitos! No oitavo dia, a Gigi, após 8 meses de treinos diários de fono para ela aprender a se alimentar, sem resultado algum, começou a comer. Assim, da noite para o dia. Começou com duas colheres, e a cada dia foi aumentando até que no dia 23, ela comeu 170 ml pela boca, sendo que durante a semana ela tinha rejeitado todo o treinamento.

Glórias a Deus! Ele é fiel e nos ama incondicionalmente.